sábado, 26 de setembro de 2009

Control







Ian Curtis é um garoto sensível e atormentado que tenta escapar do isolamento e ostracismo que impera na cinzenta Manchester em que reside (bem no meio de uma grave crise de status quo que abalava o Reino Unido nos fins da década de 70). Sua fuga se dava através de suas duas paixões : a poesia e o rock . Porém , sua tendência errática associada à sua singular condição mental , fazem com que as coisas terminem mal para o gênio-torturado.
O que soa como um bom enredo de ficção é na verdade a fiel biografia de Ian Curtis e da seminal banda punk Joy Division , o que por si só já faria do filme um item obrigatório .



O Joy Division é, em minha escala de influências, um dos exemplares máximos de sinceridade, musicalidade e atitude rock'n roll. Os quatro integrantes, cada um com sua personalidade e musicalidade peculiar sempre me trouxeram muita alegria (?!), seja como Joy Division ou New order. Música é tudo, e o silêncio é a morte. Unknown Pleasures, título que é por sua vez uma referência ao calhamaço de Marcel Proust, À procura do tempo perdido, é um dos meus discos favorito de todos os tempos. Acabaram, trinta anos depois se tornando um ícone da cultura popular, e hoje em dia vejo sempre alguém usando a camiseta (que eu também tenho) que reproduz a emblemática capa do Unknow Pleasures, saindo do mêtro. 


O resultado final foi brilhante : um filme que não peca no quesito biografia porque não toma nenhuma liberdade no roteiro,  além de magnificamente fotografado em preto e branco como convém o clima sombrio dos fatos , que dá ao filme um ar quase documental . É o retrato de um breve momento da cultura popular inglesa do final dos anos 70 e inicio dos 80 :  o advento da cena de Manchester.
Um belo filme , que agrada inclusive quem nunca escutou Joy Division , ou mesmo nem sequer gosta de rock , porque é cinema de boa qualidade (meus pais assistiram no cinema e adoraram). Anton Carbijn, o diretor, é um nome importante dentro da industria musical, sobretudo nos anos 80 e 90. É ele o fotógrafo que forjou a imagem de varias bandas com suas fotos em preto e branco de ar etéreo, sobretudo o Depeche Mode, U2 das antigas, Nirvana, e o próprio Joy Division.


                           



Titulo Original : Control
Diretor : Anton Carbijn
Ano : 2007
País : UK / Japão / Austrália
Awards : Cannes / BAFTA / British Independent / London Critic Awards / Stockholm Film Festival / Melbourne Filme Festival , entre outros


Um comentário:

  1. Comovente a história desse menino de 23 anos, dividido entre sua carreira, música e a realidade martirizante. Destaque para o intérprete do Ian Curtis, o cara mandou muuuuito bem !! Vale a pena conferir !!! eeeeeeee ... !!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...