quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Dr Fantástico






Um dos filmes mais queridos por mim, de todos os tempos, em que Kubrick abordou de maneira satírica o pavor nuclear que pairava durante os anos da guerra fria , destacando toda a imbecilidade dos homens que governavam o planeta , às portas da detonação de um artifício de aniquilação total, e a impagável corrida contra o tempo para que o pior não aconteça . É o filme definitivo sobre guerra fria. E Kubrick escolheu contar o absurdo desta história através de uma comédia de humor negro, com a fina irônia típica dos mestres, que sabem como ninguém estruturar o diálogo entre o trágico e o cômico. Dos absurdos da história só nos cabe achar graça afinal. 






Esse filme é uma obra fundamental para a história da arte, para a história do cinema, e também para história do século XX. Um filme que tem inúmeras maneiras de ser abordado. Através de sua estória que gira em torno da máquina do juízo final, ele nos lembra que uma guerra de aniquilação total, ao contrário da dureza de todas as outras guerras, não oferece nenhuma lição para a humanidade, que deixaria simplesmente de existir. O filme mostra uma crise de comunicação entre os todos poderosos, e explora o caráter fálico do artefato de destruição em paralelo com o caráter fálico do poder, do gosto pelo poder. Não por acaso, o nome de todos os personagens são referências sexuais, como por exemplo Jack o estripador, King Kong e Mandrágora (planta afrodisíaca). Cada qual com sua libido de destruição em alta. A emblemática sequência do míssil-fálico guiado pelo militar-cowboy se tornaria uma imagem-símbolo do pensamento arrogante e belicista da América, mas é também uma bela alegoria de Eros e Tânatos unidos finalmente, rumo à destruição.




Stanley Kubrick foi um mestre que dominava perfeitamente a linguagem , e cada filme seu transparece sua marca pessoal. Eu pessoalmente senti bastante a morte dele , justamente num momento em que eu me achava completamente ligado em sua obra.  


Egresso da fotografia, autodidata, ele era a personificação do cinema: roteirista, produtor, diretor, cameraman, engenheiro de som e editor. Dirigiu parcos 13 filmes em toda a sua longa carreira, mas cada um deles resultou numa peça fundamental. Sua técnica apurada e seu perfeccionismo beiram o comovente. Era um impressionista, deixando ao espectador a tarefa de formular a interpretação pessoal de seus filmes. Um ávido cinéfilo, um intelectual natural, que aliás foi um péssimo aluno na escola. Foi seu amor pessoal pelo cinema autoral europeu que moveu suas intenções como cineasta, e acabou por resultar na construção de uma cena semelhante nos EUA, a "renascença" do cinema americano, que colocava fim ao sistema de estudios que havia dominado a industria daquele país desde a invenção do cinema falado. Mas isso já é uma outra história ... 

Titulo Original : Dr. Strangelove or How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb
Ano : 1964
Diretor : Stanley Kubrick
País : UK / USA
Awards : British Academy of Film and Television Arts / London Film Festival / New York Film Critics Circle / American Film Institute / Oscar (indicação em várias categorias)



                  

Um comentário:

  1. BAIXANDO AGORA MESMO!!!!

    FALTA SÓ ESSE FILME DO KUBRICK PRA COMPLETAR A FILMOGRAFIA DELE!

    :D

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...