terça-feira, 6 de outubro de 2009

Burden of dreams






Quando se assiste Fitzcarraldo , à parte todo seu valor artístico, é difícil nao se impressionar com o tamanho do filme, e do esforço monumental necessário à sua realização. Felizmente o diretor Les Blank realizou este documentário , que vai muito além de um mero making of ,  porque ele mesmo funciona como uma obra de vida própria que vai muito além do que apenas apresentar os conturbados bastidores da produção de Fitzcaraldo. Para quem ama cinema é imperdível , mesmo que não esteja familiarizado com o filme . O que seria apenas um making of vai tomando forma de um filme que passeia por muitos outros contextos , como por exemplo a pessoa do grande diretor Werner Herzog , que sempre esteve fora da grande mídia , e se revela um verdadeiro cavalheiro , que mesmo ao meio do mais completo caos enfrentado pela produção, é incapaz de elevar o seu tom de voz. Além disso fica evidente no decorrer da produção , sua crescente frustração, e a maneira quase poética como a declara: "Esse mundo (a floresta) é um mundo que Deus - se é que ele existe - criou com ódio". Lindo. (ver video no final).






Para quem admira documentários: o diretor Les Blank é um documentarista com vasta experiência, e que pratica o estilo cinema vérité, ou cinema observacional. Cinema direto, sem narrador, que tensiona representar a verdade objetivamente , da  maneira mais próxima possível de como ela é vista através da câmera. O realizador apenas catalisa a interação publico-fatos, sem tomar partido de nada. Ele é invisível, a câmera é invisível. Não é o tipo de documentário que resulta numa pseudo-construção da realidade, como outros diretores preferem fazer (e que também pode resultar em algo interessante). O cinema observacional é um cinema antropológico e social. Como diversas outras contribuições à linguagem cinematográfica, o cinema observacional tem origem soviética. Foi na união soviética que o pioneiro Dziga Vertov "criou" o estilo Kino-Pravda, isto é, cinema-verdade. 

Como curiosidade , o documentário nos revela que o filme chegou a estar 40 % pronto , com outro elenco , inclusive o inglês mais brasileiro da história : Mick Jagger (que pelas cenas mostradas , renderia seu melhor papel de cinema). Porém por incompatibilidade da agenda pessoal e o atraso do filme, precisou abandonar o projeto, e a produção precisou ser refeita do zero . Um documentário impressionande , sobre um filme super impressionante , sobre um cineasta obstinado, metido dentro de um inferno verde, nas entranhas da amazônia ("Os pássaros aqui não cantam, eles gritam de dor"), e cuja vontade de fazer um filme desse porte, absolutamente fora do esquema de Hollywood , é apenas comparável à obsessão do personagem da estória que estava contando. No final é exatamente esta a impressão: Fitzcaraldo é Werner Herzog.



                          


Titulo Original : Burden of dreams
Diretor : Les Blank
Ano : 1982
País : USA
Awards : Telluride Film Festival

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...