quarta-feira, 7 de outubro de 2009

O Diário de um Padre

                                     


Esse bom filme francês mostra a degradação física e psicológica de um recém ordenado padre, devoto e sincero, em uma pequena vila Francesa nos anos do pós guerra, onde é recebido com hostilidade, passando a viver num isolamento relativo. O pobre vigário vai literalmente definhando filme adentro enquanto se frustra repetidamente ao perceber que seus sacrifícios e orações não são correspondidos à altura por aquele ao qual os direciona.





Um ótimo filme, bastante cultuado , uma versão mais antiga de "Sob o sol de Satã". Não por acaso ambos os filmes são baseados em livros escrito pelo mesmo autor, Georges Bernanos (sobre Bernanos escrevi algumas linhas na postagem de Sob o sol de Satã, e penso que vale à pena conhecer algo sobre a biografia deste autor antes de assistir um filme baseado numa obra sua). Já Robert Bresson merece bem mais do que algumas linhas. É frequentemente considerado como um dos patronos do cinema francês moderno, ao lado de Jean Renoir. Bresson, que ra também um teórico do cinema, passou para a história como um diretor econômico, minimalista, cujo ascetismo salta aos olhos. Sujeito de origens católicas e tradicionalistas, comumente abordava temas ligados à religião, moralidade, culpa, redenção e salvação. Gostava de atores amadores (que chamava de modelos) e desconhecidos, e com os profissionais repetia as cenas à exaustão, até limar toda "atuação", em prol da naturalidade. Para ele a expressão do ator não é obra do mesmo, mas sim da montagem dos planos feita pelo realizador.


Exceto pela questão religiosa e apolítica, é considerado um dos precursores da nouvelle vague, que absorveu muito de sua maneira frugal de filmar. Ganhou o apelido de "jansenista", numa alusão à doutrina católica que prega o rigor moral. Dirigiu apenas 13 filmes em sua longa carreira, que possui uma coerência impressionante, deixando pelo menos uma obra prima "A grande testemunha".



                       


Título original : Journal d'un curé de campagne
Diretor : Robert Bresson
Ano : 1951
País : França
Awards : Prix Louis-Delluc / National Board of Review / Toronto International Film Festival / Festval de Veneza

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...