terça-feira, 6 de outubro de 2009

Veludo azul




Ao retornar de uma visita hospitalar , Jeffrey, um inofensivo funcionário de uma loja de ferragens , encontra uma orelha decepada em um terreno baldio , que entrega à policia. Esse fato termina por ligá-lo à Dorothy , uma bela cantora de clube noturno , que o apresenta ao mundo novo do sadomasoquismo. Entretanto ela também está ligada a Frank , um sociopata demente e viciado em éter , que se liga em coisas mais estranhas , e  as coisas se complicam para Jeffrey. 






David Lynch fez de Veludo azul um bom thriller, com alguns toques de perversões e violência que a classe média americana não estava acostumada a assistir em filmes , e acabou se transformando em uma referência de filme cult dos anos 80. Ele nos mostra uma trama em que, por trás de um aparente paraíso verdejante da era Reagan, está escondida uma realidade pura, obscura e perturbadora. É basicamente um filme que segue a estrutura de um filme noir clássico, ou seja, encena a metáfora edipiana do "filho" (Jeffrey), da "mãe" (a femme fatale Dorothy) e do "pai castrador" ( Frank).   Após o sucesso comercial do filme, temas mais violentos e sexuais passaram a ocorrer com mais frequência em filmes mainstream, o que aumentou a sua mítica. 

Uma conexão interessante deste filme é a presença da linda Isabella Rossellini, companheira de Lynch na época, que ao interpretar Dorothy, executou seu primeiro papel de peso, e que lhe rendeu reconhecimento como atriz. Isabella até então era mais conhecida como top-model, e por seu pedigrée: filha do diretor italiano Roberto Rossellini e de Ingrid Bergman, sendo nada menos do que neta do mitico Ingmar Bergman. Depois disso não parou de ganhar bons papéis, como por exemplo, a bruxa de "A morte lhe cai bem", que brinca com o ideal de beleza eterna, remetendo à sua carreira de top model, e com o existencialismo,remetendo ao tema predileto de seu avô.


Embora eu não considere este o seu melhor trabalho, Lynch é um nome que sempre merece respeito e atenção. Além de ter uma marca própria em seus filmes, (geralmente oníricos, surreais, sombrios), ele também pinta, escreve, compõe, é designer, ou seja, é um homem da renascença.



                 

                                         


Titulo original : Blue Velvet
Diretor : David Lynch
Ano : 1986
País : USA
Awards : Independent Spirit Awards / Globo de Ouro / Los Angeles Film Critics Association / Montréal World Film Festival / Telluride Film Festival , entre outros

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...