quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Deus e o Diabo na terra do sol


Manoel é um homem humilde , honesto e trabalhador , mas que num momento de descontrole assassina o seu patrão latifundiário . Ele é obrigado a fugir com a sua mulher Rosa , e acabam se juntando a um grupo de fanáticos no monte santo , local do culto messiânico do beato Sebastião , um lunático que espera o juízo final enquanto extermina prostitutas e padres . Mas a índole de Manoel ainda está para se deformar ainda mais quando se deparar com o terrível cangaceiro Corisco ..


Esse filme é o espetacular testamento do talento de um maluco de carteirinha chamado Glauber Rocha , muito justamente aclamado como gênio , ao dirigir essa obra prima com apenas 24 anos. Diz a lenda que Glauber fumava maconha desde a hora que acordava até a hora de dormir , e assistindo à essa preciosidade não há como duvidar disso ! Desde o título perfeito , argumento , e a inventiva e magnífica fotografia : tudo transborda o talento intuitivo do cinema de Glauber.


O filme começa dando pinta de um legítimo faroeste cabloco , heróico e varonil , e gradualmente vai se transformando numa orgia de demência , escatologia e aberrações , até atingir o final apoteótico. Está tudo lá : cangaço , coronelismo ,  Antônio conselheiro , vidas secas , messianismo , Euclides da Cunha ; só que alegoricamente misturado com western americano , cinema europeu e Maconha ! Infelizmente Glauber deixou de existir muito cedo , mas com certeza fez a sua obra prima , cultuada por cinéfilos do mundo inteiro.


                                         


Título original : Deus e o Diabo na terra do sol
Ano : 1964
Diretor : Glauber Rocha
País : Brasil
Awards : Cannes / Festival Internacional de Acapulco / Festival de Cinema Livre, Itália / Festival Internacional de Porreta Terme, Itália / Festival Internacional de Mar del Plata, Argentina / Prêmio Saci de cinema Brasileiro / Prêmio Governador do Estado de São Paulo

2 comentários:

  1. Putz , acabei revendo o filme , e realmente é sensacional! Uma coisa interessante a se dizer é que o Scorcese é um puta fã do Glauber , e vive dizendo por aí que ele foi uma de suas maiores influências , formadoras do seu cinema mesmo (os outros foram John Cassavetes e Ida Lupino ) . Scorcese inclusive bancou do próprio bolso a restauração da fita original num laboratório de Londres . Diz a lenda que Scorcese é tão obcecado pelo filme que costuma colocar o seu elenco para assistir o filme antes de iniciar uma produção , porque ele quer exatamente aquele tipo de verdade ...

    ResponderExcluir
  2. A fome e a miséria transformando o homem, desorganizando, corrompendo e anormalizando ...
    Uma história cantada como as de um cordel nordestino, misturando política, mitologia popular, fanatismo e loucura. Destaque para Othon Bastos como Corisco, atuação impecável.
    Deus o Diabo e Glauber Rocha !

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...