domingo, 1 de agosto de 2010

Geração Proteus



Um cientista cria um super computador com jeitão de mordomo inglês (assim como o protótipo do gênero Hal 9000 de 2001), Proteus, uma obra da robótica avançada capaz dos mais incríveis prodígios, mas que também se torna obcecado por uma bela mulher. Como se isso não fosse suficientemente bizarro, a máquina tem planos de consumar a relação entre os dois.




Raríssimo Sci-fi setentista meio safado, que embora não tenha sido planejado como cine-trash (tem a Julie Christie por exemplo) acabou se tornando um expoente involuntário do gênero, tamanho primitivismo e datação dos seus efeitos fajutos e premissas absurdas. Aliás os sci-fi que mais se levam a sério são os que vão render os melhores trash-comédia de amanhã. Uma boa distração para os interessados em tranqueiras e fuleiragem,  e que curiosamente ecoa ainda hoje em outras obras do gênero. Um filme constrangedor.

Título orginal : Demon Seed
Ano : 1977
Diretor : Donald Cammell
País : USA
Awards : Saturn Award

2 comentários:

  1. Só a ideia de uma máquina "consumando" me dá arrepio na espinha! Em vários momentos do filme eu fiquei de cara O_o com certas cenas absurdas e risíveis. Mas não menosprezem! Pois a ideia absurda de hoje (década de 70 ha ha) será parte do nosso cotidiano algum dia.

    Não leia abaixo se não viu o filme ainda!


    O rebento simbiótico é tão fofo(a) principalmente com as partes metálicas sobre o corpo :)

    ResponderExcluir
  2. os japoneses devem ter assistido ou gostarão de ver esse filme!!eles que inventam cada vez mais robôs realistas!um cruzamento entre a espécie Humana e a robótica deve ser um sonho dos inventores tecnológicos orientais!!Marcos Punch.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...