quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Pink Flamingos



O submundo de Baltimore está em guerra pelo título da pessoa mais suja  e demente : de um lado a obesa Divine, que mora em um trailler com seu filho hippie banguela e com sua mãe, uma idosa com retardo mental que vive aprisionada em um berço e tem um interesse incomum por ovos de galinha. Do outro lado está um casal, que entre outras atividades criminais passa heroína para colegiais e rapta adolescentes para engravidá-las e vender as crianças à casais de lésbicas.


Quando cometeu esta espetacular joia, o mestre John Waters estava criando o maior clássico do cinema marginal de todos os tempos. Mas ele não tinha ideia disso, apenas queria rodar uma obra que esmurrasse a cara da sociedade americana com tanta violência que o golpe ecoasse ainda por muitos e muitos anos. E conseguiu. Fruto de um subúrbio de classe média em Baltimore, John cresceu detestando seu pequeno mundo white trash, preconceituoso, moralmente senil e hipócrita, de tal forma que iria para sempre em seus filmes ridicularizar o sonho americano de forma cruel e chocante.




Usando dos tipos mais repelentes, e das situações mais revoltantes, além da sua registrada pegada Kitsch - (o Kitsch como forma de arte considerada inferior, uma cópia de mau gosto do que é tido como arte "legitimada") - Waters atingiu aqui o seu ápice, num dos grandes filmes americanos já feitos. Um dos filmes mais doentios, grotescos, queridos e cativantes que já tive a oportunidade de assistir, e o sigo cultuando desde então. Sem dúvida é filme pelo qual Waters será lembrado na eternidade.


Título original : Pink Flamingos
Ano : 1972
Diretor : Jonh Waters
País : USA
Awards : Nenhum

domingo, 21 de novembro de 2010

O Arco


Um velho homem do mar cria uma menina em seu barco desde que ela era um bêbê, e planeja tomá-la como esposa quando ela completar 17 anos , e só então usá-la para satisfazer suas necessidades sexuais. Porém , um jovem pescador de final de semana aparece e destrói seus planos.



Sutil e estranho filme que é tão minimalista que seus personagens sequer têm nomes. O clima claustrofóbico ajuda a contar a estória de um velho (pedófilo ?) e de uma menina que tornou-se quase uma débil mental social em virtude de tamanho isolamento. Um bom filme , muito bem dirigido ,mas que definitivamente é para poucas audiências ..

Título original : Hwal
Ano : 2005
Diretor : Ki-duk Kim
País : Coréia do Sul / Japão
Awards : Indie Brazil - World Film Festival / Cannes / Montréal Film Festival / Helsinki International Film Festival / Hong Kong Asian Film Festival / Moulins Jean Carmet Film Festival / Mar del Plata Film Festival / Cleveland International Film Festival / Rainbow Film Festival / Golden Frog Award / Fantasporto

LINK PARA TORRENT

LINK PARA TORRENT OPCIONAL

LINK PARA LEGENDA

DVD

...

sábado, 20 de novembro de 2010

Aprendendo a mentir



Ótimo filme alemão que mostra anos e anos da patética vida amorosa do tímido Helmut , e os conflitos típicos do comportamento masculino . O termo "comédia romântica" acabou virando um termo cifrado para cinema fraco e sem qualidade , mas esse filme é exatamente uma comédia romantica , porém muito boa , e feita a partir da perspectiva masculina.





Há ainda muitos aspectos interessantes sob a sociedade alemã e suas mudanças nas ultimas décadas , a linda e sofrida Berlim , e uma trilha sonora preciosa (comove quando toca Berlin do Fischer Z , ao surgir no filme obviamente , Berlim) . Um filme leve , descomplicado e agradável.




Título original : Liegen lernen
Ano : 2003
Diretor : Hendrik Handloegten
País : Alemanha
Awards : Cannes / Munich Film Festival / Cleveland International Film Festival / Hong Kong International Film Festival / Brooklyn International Film Festival / Moscow Film Festival / Copenhagen International Film Festival / Film by the Sea Film Festival / Brooklyn International Film Festival / German Film Awards


...

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Singapore Sling


Um detetive que procura há muito tempo por sua amada , acaba inadvertidamente tornando-se prisioneiro em uma sinistra e decadente mansão , e ali se transforma em objeto de tortura de duas assassinas em série que moram na casa , e celebram doentes rituais de sangue e vísceras .


Não resta muito a se dizer deste filme senão que se trata de um elogio à insanidade e perversão . Parece um filme dirigido por um David Lynch desmaiado pela sala de edição : um nonsense doente , perturbador e repulsivamente sexy ..



Título original : Singapore sling: O anthropos pou agapise ena ptoma
Ano : 1990
Diretor : Nikos Nikolaidis
País : Grécia
Awards : Toronto Film Festival / Thessaloniki International Film Festival

LINK PARA TORRENT

LINK PARA TORRENT OPCIONAL

LINK PARA LEGENDA

DVD

...

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Last Days


Visão do diretor maluquete Gus Van Sant sobre os ultimos dias de vida de Kurt Cobain . Mais do que um relato literal dos fatos , o diretor procura retratar a atmosfera de alienação e isolamento na vida do astro na sua fase final. Obviamente , por motivos legais , os nomes precisaram ser mudados , assim como nenhum material protegido por direitos autorais pode ser reproduzido.



Existem porém muitas referências no filme , que podem ser percebidas pelo fã mais atento : a célebre casa no lago e a compania dos amigos/empregados inúteis de Kurt , a presença de Kim Gordon (Sonic Youth) fazendo uma ponta como sua manager - quando na verdade Kim tinha mesmo um carinho especial por Kurt ; e a cena de Kurt se arrastando de quatro em um vestidinho preto , que foi a maneira que o cara deixou o palco na sua performance mais antológica ,( aqui no Brasil mesmo !) . Coisa para fã ...





Título original : Last Days
Ano : 2005
Diretor : Gus Van Sant
País : USA
Awards : Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro / Cannes / Seattle International Film Festival / Provincetown International Film Festival / Lowlands Festival / Athens Film Festival / Hong Kong International Film Festival / B-Est International Film Festival / Buenos Aires International Festival of Independent Cinema / Independent Spirit Award / Golden Trailer Awards

...

O Homem do prego


Sol Nazerman é um sobrevivente do holocausto nazista que após a guerra refugiou-se na América , onde administra uma loja de penhores que funciona em um gueto de New York . Por conta do extremo trauma psicológico que vivenciou , Sol se tornou uma espécie de morto-vivo , incapaz de sentir compaixão pelo ser humano , que considera sem exceção como escória.


Belo filme , obscuro e pesado , cínico e cruel . Estiloso e avançado para o seu tempo . A trilha sonora é de Quincy Jones no auge , e tem classe de sobra . Rod Steiger está muito bem no papel de homem amargo que descobre por via torta que ninguém , por mais que se esforce , pode ser uma ilha. Cinema Corujão do bom ..



Título original : The Pawnbroker
Ano : 1964
Diretor : Sidney Lumet
País : USA
Awards : BAFTA Film Award / Globo de Ouro / Golden Berlin Bear / Bodil / DGA Award / Golden Laurel / National Film Registry USA / Writers Guild of America

LINK PARA TORRENT

LINK PARA TORRENT OPCIONAL

LINK PARA LEGENDA

DVD

...

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Nowhere



Filme que mostra um frenético dia de um grupo de adolescentes superficiais e estereotipados, em uma também caricatural Los Angeles, enquanto aguardam por aquilo que consideram ser a festa do ano, onde coisas muito estranhas acontecerão com cada uma de suas vidas vazias e sem sentido.



Quem já está familiarizado com a particular visão de mundo de Gregg Araki (de "chocar a qualquer custo") não vai estranhar a roupagem com a qual retrata o retardado adolescente americano comumente fabricado pela mídia nos anos 90, que resolveu parodiar em Nowhere ( "Um barrados no baile" do capeta, segundo o próprio )




Repleto de pequenas pontas e participações de rostos conhecidos, é um filme surreal e esquisitão, e embora esteja já datado, é um bom objeto de reflexão, desde que se solidarize com o sua proposta perversa e niilista (já desde o título). Ah , e a trilha como de costume em seus filmes é muito boa.

Título original : Nowhere
Ano : 1997
Diretor : Gregg Araki
País : USA / França
Awards : Deauville American Film Festival / Sitges - Catalonian International Film Festival

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Subconscious Cruelty




Essa pequena obra prima da profanação se inicia com um breve manifesto recitado sobre a dureza da realidade e da condição humana. Baseado em um bizarro conceito de que nosso cérebro é dividido entre hemisférios de razão e emoção, e que apenas o lado emocional (o direito) deveria prevalecer, para que os sonhos e fantasias ganhem vida, o diretor expõe quatro ultrajantes capítulos, noturnos, extremos e repelentes, que digressionam através de metáforas por temas como incesto, religião, criação e o planeta terra. Em uma entrevista, o diretor afirmou que o maldito "Saló", de Pasolini, soa como A Noviça Rebelde quando comparado ao seu Subconscious Cruelty.




Em virtude de seu teor controverso, não é um filme destinado a todas as audiências, mas somente para a recepção que não o simplifique à apenas um amontoado de sequências escatológicas e vulgares, pois trata-se de um filme certamente caótico, mas também desafiador, e que sim, se utiliza da estética da repulsa para criar momentos de puro horror, como também de momentos introspectivos e de estranha beleza, motivadores de reflexões interessantes.





Subconscious Cruelty deixa uma forte impressão, passeia por recantos muito obscuros da psique humana, é visualmente violento e sombrio. Seu (brilhante) manifesto anti-clerical leva o simbolismo da comunhão ao extremo literal daquilo que sugere (comer o corpo de cristo - de longe a melhor sequencia do filme, muito bem montada e iluminada), e certamente é um filme perturbador e chocante, um pesadelo no qual apenas deverão embarcar aqueles que não se ofendam com absolutamente nada que irão testemunhar. Banido de diversos países, tornou-se um cultuado item do cinema fantástico-marginal, e que já tem até uma mitologia própria. 



Título original : Subconscious Cruelty
Ano : 1999
Diretor : Karim Hussain
País : Canadá
Awards : Amsterdam Fantastic Film Festival / Espoo Film Festival / Athens Film Festival / Espoo Film Festival / Sitges Film Festival / Stockholm International Film Festival




                   

domingo, 14 de novembro de 2010

Exuberante Deserto


Dvir é um menino de 12 anos que vive em um Kibutz , onde além das suas duras obrigações de trabalho com a comunidade , precisa lidar com o fato de sua mãe ser emocionalmente instável desde ter se tornado viúva , sob circustâncias que Dvir ainda não conseguiu compreender completamente . Essa é a premissa deste excepcional filme israelense , que traz muito mais por trás dele : uma abordagem no aspecto psicológico de se viver sob o "princípio da igualdade" levado ao extremo , em uma assustadora comuna primitiva que eram os Kibutz há algumas décadas.


Os Kibutz são comunidades agrícolas israelenses que combinam princípios do socialismo e do sionismo , e mesmo sendo instituições ligeiramente utópicas em sua origem , acabaram exercendo um importante papel na formação da identidade cultural do jovem estado de Israel , e mais que isso , funcionaram como principal fator de atração aos colonos judeus para a Palestina. Para mim como gentio , pode parecer uma idéia complicada de se entender (portanto não me cabe julgamento algum) , mas o legado dessas comunas agrícolas é , para o bem ou para o mal , inestimável aos Judeus de todo o mundo. Um filme excelente !

Título original : Adama Meshuga'at
Ano : 2006
Diretor : Dror Shaul
País : Israel / Alemanha / Japão
Awards : Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro / Sundance Film Festival / Berlin International Film Festival / Paris Israeli Film Festival / Seattle International Film Festival / Tallgrass Film Festival / Palm Springs International Film Festival / Toronto International Film Festival / Israeli Film Academy / Motovun Film Festival

LINK PARA TORRENT


LINK PARA LEGENDA

DVD

...

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Meu irmão é filho unico


Dois irmãos crescem em uma pequena cidade do sul italiano, e em meio às brigas e diferenças políticas (um se diz comunista e o outro é "adorador" de Mussolini), o filme acompanha o amadurecimento dos dois ao longo dos anos, e suas escolhas pela vida (um formato "patenteado" do cinema Italiano).


Simpático filme italiano, que se situa ente o drama familiar e o foco no panorama social do país durante as confusas décadas do pós guerra. Um filme que deve agradar os admiradores do cinema da bota, e ítalo-simpatizantes em geral.



Título original : Mio fratello è figlio unico
Ano : 2007
Diretor : Daniele Luchetti
País : Itália / França
Awards : Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro / Cannes / Festival de Sevilha / Toronto International Film Festival / Chicago International Film Festival / Tokyo International Film Festival / MittelCinemaFest Hungria / Portland International Film Festival / Hong Kong International Film Festival / Florida Film Festival / Wisconsin Film Festival / Cine Europa Film Festival



domingo, 7 de novembro de 2010

Chop Shop




Alejandro é um trombadinha latino que tenta ganhar a vida se virando como pode em um desumano e horroroso buraco perdido na periferia do Queens, (que fica bem pertinho da grande maçã e de suas luzes mirabolantes), como se fosse um pixote nas barbas do Tio Sam.


Menores de rua, "robauto", miséria, imigrante, camelotagem, sujeira e submundo: Nada que lembre o colorido e plastificado sonho americano vendido pelos Armani de Hollywood, aqui a coisa é na cara, neo-realismo do diretor independente Ramin Bahrani, que adora mostrar o pesadelo americano. Um filme super interessante.

Título original : Chop Shop
Ano : 2007
Diretor : Ramin Bahrani
País : USA
Awards :  Cannes / Festival de Berlin / Independent Spirit Award / London Film Festival / Vienna International Film Festival / Copenhagen International Film Festival for Children and Youth / RiverRun International Film Festival / Sydney Film Festival / Toronto International Film Festival / Jeonju International Film Festival / Istanbul Film Festival / Karlovy Vary International Film Festival / Helsinki International Film Festival / Young Artist Award , entre outros . 



...

sábado, 6 de novembro de 2010

Horem Padem




Ótimo filme que mostra o cotidiano de pessoas simples , vivendo as suas vidas na bela Praga , quando eventualmente têm os seus destinos entrelaçados de maneira inesperada : alguns imigrantes (e um emigrado) , um professor de artes , uma mulher que precisa urgentemente ser mãe , seu marido fanático por futebol , e outros personagens curiosos ...


Um comentário muito interessante sobre a jovem sociedade pós comunismo da República Tcheca , e uma estratégia de narrativa que gosto muito : Um evento isolado (um bêbê perdido) serve como elemento que interliga multiplas estórias. Um belo filme ..

Título original : Horem Padem
Ano : 2004
Diretor : Jan Hrebejk
País : Republica Tcheca
Awards : Cannes / Telluride Film Festival / Warsaw Film Festival / Cottbus Film Festival / Pusan International Film Festival / Copenhagen International Film Festival / Espoo Film Festival / Czech Lion / Pilsen Film Award

LINK PARA TORRENT

LINK PARA TORRENT OPCIONAL

LINK PARA LEGENDA

DVD

...

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Musta Jää


Sara é uma obstetra de meia idade, que apesar do sucesso profissional e da vida confortável, paradoxalmente à sua ocupação, jamais conseguiu ser mãe. Tudo piora quando descobre que seu marido arquiteto tem uma jovem amante, e a partir daí se desenrola um obscuro triângulo.



Filme finlandês, bom para se assistir sem compromisso, que mesmo explorando uma trama nada original e tendo um tom levemente moralista ( um herdeiro distante e sinistro de Atração Fatal ? ), acaba se fazendo pelas pequenas coisas, pois é visualmente agradável, cool, esperto, e tem uns toques dark. Um bom escapismo, e uma oportunidade de provar a vertente finlandesa do bom cinema do norte europeu.

Título original : Musta Jää
Ano : 2007
Diretor : Petri Kotwica
País : Finlândia / Alemanha
Awards : Festival de Berlin / Helsinki International Film Festival / Ottawa European Union Film Festival / Midnight Sun Film Festival / Espoo Film Festival / Warsaw International FilmFest / Hong Kong International Film Festival / Newport Beach Film Festival / Festróia - Tróia International Film Festival / Jussi Awards 

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

9 Dollars 99 Cents


Filme feito em animação stop-motion , que retrata o dia a dia de pessoas comuns (e seus problemas comuns) em um condomínio de classe baixa em Sidney , Australia , resultando em uma obra bastante adulta e densa , de diálogos expertos e clima sutil , além de uns toques surreias e de fantasia .


Filme raro e de lindo e dedicado trabalho de stop-motion fotografado quadro a quadro  , que encerra esta singela trilogia de postagens dedicadas a bons filmes de animação ..

Título original : $ 9,99
Ano : 2008
Diretor : Tatia Rosenthal
País : Australia / Israel
Awards : Sidney Film Festival / Hong Kong International Film Festival / Rome Film Festival / Istanbul Film Festival / CPHPIX Festival Dinamarca / Toronto International Film Festival / ERA New Horizons Film Festival Polônia / Annie Awards / Mexico City International Contemporary Film Festival / Stockholm Film Festival

LINK PARA TORRENT

LINK PARA TORRENT OPCIONAL

LINK PARA LEGENDA

...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...