quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Nosferatu , o Vampiro da noite


O Conde Drácula decide mudar-se da Transilvânia para a Alemanha , e um bem intencionado corretor de imóveis de Wismar é enviado até o distante castelo de Drácula nos Cárpatos para mediar as negociações , mas ao chegar no seu destino descobre a verdadeira natureza do conde .






Anos depois que a clássica história de Bram Stocker caiu no domínio público , a figura de Drácula passou a ser repetidamente avacalhada em filmes de segunda linha retratando o personagem de forma camp e vulgar . Coube a Werner Herzog a missão de resgatar , através deste lindíssimo filme , a natureza tragicamente solitária do célebre personagem condenado à uma vida eterna de escuridão e isolamento.


A parceria Herzog / Kinski rendeu esse filmaço , (homenagem declarada à versão muda de 1922 - tido como o ícone supremo do expressionismo alemão) , e na minha modesta opinião um dos melhores já realizados por este diretor que tanto admiro . Um filme bonito , melancólico , poético , elegante , corajoso , e puro Herzog , com sua magistral pegada arcaica. Filmaço !


                                  


Título original : Nosferatu: Phantom der Nacht
Ano : 1979
Diretor : Werner Herzog
País : Alemanha / França
Awards : Berlin International Film Festival / New York Film Festival / Jakarta International Film Festival / Praga Franco-German Film Festival / Finland Iik Horror Film Festival / Thessaloniki International Film Festival / Academy of Science Fiction, Fantasy & Horror Films / Cartagena Film Festival / German Film Awards / Sant Jordi Awards

3 comentários:

  1. Pois é, Lord Vader, lindo é pouco. Minha sequência favorita é quando a peste já tomou conta da cidade e as pessoas ainda não doentes resolvem "liberar geral". Aquela mesa de banquete em praça pública no meio dos ratos é um dos grandes momentos do cinema. E a música???? Fantática! Pode se ouvi-la na faixa "Hello, Earth", de 1985 de Kate Bush (álbum the Hounds of Love). Kinski, Ganz, Adjani (de olhos esbugalhados). Todo contribui para o espetáculo cinematográfico!

    ResponderExcluir
  2. Exatamente os olhos esbugalhados dão ainda mais charme à belíssima Adjani , pagando de musa do cinema mudo .. Excelente !
    [ ]s Vader

    ResponderExcluir
  3. Apenas uma curiosidade deliciosa que li um dia desses, e que incide diretamente na história fantasiosa de Bram Stoker e no filme em questão : a Transilvânia , assim como boa parte dos montes Cárpatos , foram sede de inúmeras fortificações avançadas germânicas , sobretudo do reino da Saxônia , que visavam proteger o continente europeu dos invasores vindos das estepes asiáticas , como por exemplo os Mongóis. Isso explica a germanização total da região , assim como o inesperado intercâmbio cultural do conde Vlad com a cultura alemã ...

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...