segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Metal: uma jornada Headbanger






Quando eu era criança eu tinha medo de heavy metal, tinha medo do som e das capas do discos. Mas na adolescência, já ciente de que toda a aparência maléfica era uma piada, passei infinitas horas escutando Led Zeppelin, Iron Maiden, Kiss, e sobretudo Black Sabbath.  Embora sempre me sentisse muito mais seduzido pela anarquia Punk (e portanto "anti-metal") dos três acordes e tenha sido o grunge (justamente um subgênero do metal e do punk !) que me fez comprar uma guitarra e passar horas fazendo todo tipo de ruídos estranhos, não há como negar a influência do metal na formação de minha estética roqueira. E me atire uma pedra quem nunca tocou air guitar escutando alguma canção de metal.





Depois da maturidade descobri que não havia fronteiras na música e passei a explorar todo tipo de gênero musical sem preconceito algum, embora o cabelo longo tenha ficado de recordação. Porém, existe um tipo interessante de roqueiro cujo sectarismo e consciência tribal beira o patológico : o metaleiro, aquele cara devoto religioso do metal, cabeludo e sempre de preto, quiçá de coturno, e que embora tenha o coração mole e seja um intelectual recluso, não tolera qualquer tipo de manifestação sonora que não seja o metal. É o metal ou nada. Você com certeza conhece um cara assim (se não for o próprio!), pois eles são muitos, de todas as idades, e para ser sincero, tenho uma grande empatia por todos eles e seu idealismo quase romântico.






Esse excelente documentário é um mergulho nesse curioso universo cultural, este império da testosterona, este magnífico circo chamado de metal, que de tão fragmentado em subgêneros necessita de um trabalho enciclopédico para ser catalogado : hair metal, thrash metal, black metal, death metal, speed metal, e por aí vai. O antropólogo e diretor Sam Dunn explora cada faceta desta idiossincrática cultura, sua fauna e habitat  "que é enorme e ainda assim desconhecido por muitos", desde o metaleiro americano médio bebedor de cerveja e "party-on" até a turma norueguesa que leva o papo do satanismo a sério e queima igrejas para passar o tempo. Um filme sensacional !





Título original : Metal: A Headbanger's Journey
Ano : 2005
Diretor : Sam Dunn / Scot Mc Fadyen
País : Canadá
Awards : Lowlands Festival Holanda / Toronto International Film Festival / Oslo International Film Festiva / In-Edit Barcelona Film Festival / Jakarta International Film Festival / Thessaloniki Documentary Festival / Wisconsin Film Festival / Gemini awards Canada


                 

3 comentários:

  1. Esse documentário é muito bom! Vi-o todo pelo Youtube, e como adorador de heavy metal, gostei bastante.

    Como você, meus gêneros favoritos são o punk, o metal e o grunge. Acho uma babaquice essa rivalida boba entre metaleiros e punks. O bom é saber que músicos de trash metak souberam muito bem unir os dois ritmos.

    ResponderExcluir
  2. Só uma correção: É Thrash metal, não trash.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...