terça-feira, 26 de abril de 2011

Eu andarei como um cavalo doido



Um rapaz com graves problemas edipianos foge para o deserto após a morte da mãe, e lá econtra Marvel, um nobre selvagem que se relaciona muito bem com a "mãe-terra" . Os dois tornam-se surpreendentemente inseparáveis , e junto com uma cabra , tornam-se companheiros de uma viajem repleta de símbologia psicanalítica.Taí um filme que gosto muito, uma raridade que não existe mais: o filme autoral . Neste caso feito pelo provocador e doidaço Fernando Arrabal (de Viva la Muerte) - que faz uma pontinha no final dando um beijinho na boca do selvagem . Filmes assim são uma raridade em uma época em que o cinema, mesmo o independente, tornou-se mais e mais corporativo.




Como todas as coisas que Arrabal fez, trata-se de um filme que em nada lembra um bombom hollywoodiano : é sujo , surreal, fragmentado e livre. Esse filme em especial , agradará em cheio os cinéfilos que também amam a teoria psicanalítica , pois o filme é repleto de simbolos mentais , e na verdade parece até um mapa freudiano. Estão lá , além do citado Complexo de Édipo (lugar comum de todos os filmes de Arrabal), o horror da castração e a fixação no falo , a polícia como figura paterna, a dádiva das fezes , o canibalismo como expressão de amor, e tantos outros. Todos os elementos mentais são simplesmente filmados como atos reais, o que dá ao filme a cara de um longo sonho edipiano. Assista e faça a sua leitura .. Filmaço !




Título original : J'irai comme un cheval fou
Ano : 1973
Diretor : Fernando Arrabal
País : França
Awards : nenhum

DVD

...

2 comentários:

  1. Ótimo!

    Me tornei fã recentemente de Fernando Arrabal, um grande artista vivo (que não pare de produzir tão cedo!). "Eu andarei como um cavalo doido" é maravilhoso, tem uma ótima trilha sonora.

    Recomendado!

    ResponderExcluir
  2. deve ser um belo filme bizarro e que eu fiquei muito curioso em assistir!Marcos Punch.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...