quarta-feira, 11 de maio de 2011

Le Voyage dans la Lune



Durante um congresso científico, o professor Barbenfouillis convida seus colegas cientistas a participarem de uma viagem exploradora na lua. Quando finalmente os desbravadores chegam ao seu destino, se surpreendem ao aprenderem que a lua já era habitada por selvagens. Esta é a (então) originalíssima estória desse marco do cinema, em um tempo em que a coisa toda era pura experimentação.




Em 1902, Georges Méliès dirigiu este filme antológico que conseguiu, de uma só vez, ser tudo isso : o primeiro longa metragem (tem cerca de quinze minutos , enquanto os outros filmes da época mal chegavam a dois),o primeiro filme surrealsita, o primeiro filme de fantasia pura (ao contrário das austeras cenas cotidianas feitas pelos irmãos Lumière), o primeiro filme de ficção científica, que é , com espanto , até hoje o protótipo do gênero: viagens interplanetárias, extraterrestres e viagem ao fundo do mar de quebra.




Méliès (que representa o professor Barbenfouillis) era, de fato um cara excêntrico. Estava ligado à espetáculos de mágica e teatro popular, e foi quem em grande parte, sugeriu que o cinema deveria ser sim, um pouco circense, algo que nos levasse à alguns momentos de escapada, e nada mais circense do que um bom blockbuster Hollywwodiano. Enfim, muita gente boa deveria beijar a mão do cara, inclusive Kubrick e Spielberg. Os Smashing Pumpkins já beijaram, no lindo videoclip de Tonight Tonight, e eu estou beijando, com esta postagem.





Para quem é amante do cinema e ainda não viu, não pode perder. É uma linda obra, emocionante, uma apoteose da Art Noveau , em forma e motivo. O retrato exato da euforia de um momento em que o mundo, impregnado de Julio Verne e H. G. Wells, depositava todas as sua esperanças nas maravilhas de uma jovem industrialização. E a promessa de continuar vivendo em uma Belle Époque parecia um sonho sem fim..




Título original : Le Voyage dans la Lune
Ano : 1902
Diretor : Georges Méliès
País : França
Awards : Zlín Student Film Festival / Athens Film Festival

Um comentário:

  1. Scorcese faz homenagem ao cineasta no filme Hugo (A Invenção de Hugo Cabret).

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...