sábado, 10 de dezembro de 2011

Videodrome


Max é um oportunista executivo de um pequeno canal adulto canadense, que se interessa em veicular para seu público o sinal de uma misteriosa transmissão captada pela antena da emissora, cuja origem é desconhecida, e apresenta fortes cenas de violência sexual e tortura. Mas ele não desconfia que existe algo muito maior na origem daquilo . Videodrome é a visão profética de Cronenberg sobre a manipulação da mídia sobre as massas (através de shows de realidade - "Televisão é realidade e a realidade é menos que a televisão"), e das relações "carnais" entre homem e tecnologia, tudo, obviamente, narrado dentro de seu estilo escatológico e pessoal, com direito a vaginas estomacais inclusive..



Videodrome não é o seu melhor trabalho: o fato é que, e fica muito claro ao assistí-lo, o filme foi lançado sem ter sido terminado da maneira como foi originalmente concebido por David Cronenberg, o que não aconteceu por problemas pessoais do elenco e dificuldade em realizar certas sequências numa época em que tudo ainda era analógico. Foi lançado assim mesmo. Talvez este revés acabasse por envolver mais a obra em sua aura cult. Mas é um bom filme, um pouco caótico é verdade, mas de muita personalidade, e que, ainda, conta com a nossa amada Debbie Harry, linda, linda, linda. Fiquei um tempão sem assisti-lo, mas foi um feliz reencontro..



Título Original: Videodrome
Ano: 1983
Diretor: David Cronenberg
País: Canadá
Awards: Brussels International Festival of Fantasy Films / Fantafestival Itália / International Film Festival Rotterdam / CSC Award / Genie Awards

DVD

2 comentários:

  1. EXCELENTE POST
    VOU ASSISTIR MAIS ESSA OBRA PRIMA

    UM ABRÇ
    E SEMPRE ESTA DE PARABENS
    BELO BLOG

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...