domingo, 14 de abril de 2013

Duas garotas românticas



                           


Duas irmãs gêmeas de Rochefort (daí o título original em francês "Les demoiselles de Rochefort"), amantes das artes e da música, sonham em seguir para Paris e abraçar definitivamente este modo de vida. Quando uma trupe meio circense chega à cidade, talvez tenha chegado a hora de realizar este sonho. Na verdade o roteiro, simplório e cheio de buracos, não é o ponto forte deste filme. Porque vale a pena assistí-lo então ? Bem, primeiro porque trata-se de um belo exemplar do cinema cantante de Jacques Demy (que já apareceu aqui no blog em "Peau d'âne"), verdadeiro 'corpo estranho' da nouvelle vague, totalmente ingênuo e colorido, pelo qual tenho a maior das simpatias.


                                 


Além disso, é a unica oportunidade de se conferir Catherine Deneuve contracenar com sua irmã Françoise Dorléac (as gêmeas). Ambas igualmente belas, juntas na tela, são o grande chamariz para o cinéfilo aplicado. Françoise viria a falecer um pouco depois, com parcos 25 anos, em um trágico acidente automobilístico no sul da França, chocando todo o país. Deneuve viria a tornar-se a deusa que todos nós amamos. Há ainda uma participação de Agnès Varda, esposa de Demy, como uma freirinha. Como se não bastasse, há a presença nada à ver de Eugene Kelly, já longe de sua grande forma, fazendo uma ponta típica de final de carreira, totalmente perdido, basicamente para dar um pouco de credibilidade ao filme, em tanto que sub produto de musical americano (gênero que nesta época já se encontrava praticamente extinto).


"Duas garotas românticas" é um filme impagável. Datado, absurdo e camp, não tinha como não se tornar um cult absoluto. Michel Legrand, talentoso compositor e parceiro inseparável de Demy, fez um grande trabalho, e criou pelo menos um clássico instantâneo na trilha sonora, a pegajosa "Chanson des Jumelles " (canção das gêmeas), que agarra na cabeça e jamais te deixa. Agnès Varda viria à restaurar a fita como tributo ao seu falecido marido, trazendo de volta seu belo colorido. Uma mistura de otimismo gay (no sentido mais respeitoso da palavra), com tributo à anorexia. Clássico de um tempo em que o cigarro era tudo !     


Título original :  Les demoiselles de Rochefort
Ano : 1967
Diretor : Jacques Demy
País : França
Awards : Nenhum

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...