segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Basquiat Traços de uma Vida




Bom filme que mostra a peculiar carreira do artista alternativo americano Jean Michel Basquiat, cujos domínios se estendiam da música à pintura, grafite, instalações, e poesia; sempre com um estilo primitivo e expontâneo mas também energético e inovador. Quando o midas da pop art Andy Wharol  se encantou com sua obra, Basquiat tornou-se um sucesso instantâneo, chegando a ser a capa do New York Times. David Bowie, que trabalhou com Basquiat em vida, faz um ótimo Andy Wharol.



Esse filme dá também um bom panorama da efervescência cultural de Manhatan, e sobretudo East Village, que marcou o final dos anos 70 e 80, quando praticamente, tudo que fosse novo era o Hype da semana. Foi o auge do CBGBs, das galerias de arte, Punk-New Wave, (e da No wave !), e do experimentalismo nihilista que arrebatava os corações dos modernos. Depois disso, cada mega cidade do mundo passou a possuir um bairro que emula a cena: uma área que já foi decadente, é invadida por artistas e descolados, burgueses afins, se enche de galerias, endereços da moda, etc, etc.

O filme tenta penetrar no aparato psicológio do jovem pintor, sua força criativa, suas idéias simples, honestas e ingênuas, e que criou um estilo durável e influente. O que seria da programação visual da MTV nos primórdios sem a referência do cara ? O filme conta com uma ótima trilha, e algumas participações curiosas, como a viúva bagaceira Courtney Love.

                                     


Título original: Basquiat
Ano: 1996
Diretor: Julian Schnabel
País: USA
Awards: Festival de Veneza / Independent Spirit Awards / Political Film Society  USA / National Board of Review USA



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...