quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Toda a memória do mundo






Espetacular filme-documentário de 20 minutos em que o grande realizador Alain Resnais lança um olhar sobre a Biblioteca Nacional da França, venerável instituição que abriga um patrimônio histórico-cultural inestimável, que inclui por exemplo, manuscritos de Proust, Boudelaire, Emile Zola, Balzac, Debussy, Flauber, Victor Hugo, entre tantos outros textos de autores que formam o panteão literário do ocidente. Ele foi filmado ainda no antigo prédio da instituição (atualmente há um bem mais moderno, mas o primeiro ainda continua ativo), Resnais, aparentemente possuído, nos oferece uma experiência visual espetacular. A cenografia épica transmite do primeiro ao ultimo plano a ideia do arquivo, do conhecimento, do saber, como algo maior que a vida. Cada plano glorifica e comunica a ideia de seu poder quase divino. Nada mais natural vindo do país onde a doutrina cartesiana da razão fundiu-se à própria identidade nacional. Os seres humanos, raros, são fotografados sempre em planos em que parecem "esmagados" ou "pequenos" frente à tamanha força.  Já fazia 5 anos que Alain Resnais não aparecia aqui no blog (desde Guernica). Nesse período, o diretor, ele mesmo um monumento, desapareceu, mas sua rica filmografia vai durar para sempre. 


                      


Título Original: Toute la memoire du monde
Ano: 1956
Diretor: Alain Resnais
País : França

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...