sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

The Interview




Dois jornalistas de um show popular da Tv americana conseguem uma entrevista com o líder supremo da Coréia do Norte, Kim Jong Un, mas acabam recebendo uma missão extra da CIA: matar o homem. Fazia muitos anos que um filme não provocava tanto barulho em torno de seu lançamento. A entrevista conseguiu um grau de atenção que nunca, jamais alcançaria se não fosse a retaliação violenta e as ameaças lançadas pelos supostos "hackers" da Coréia do Norte. A Sony recuou e suspendeu o lançamento do filme, e a América, acovardada, expôs uma fraqueza surpreendente: se curvou perante as ameaças, e terminou com a imagem arranhada no final das contas. Onde está o maior pilar da mitologia Americana, a tão propagada liberdade de expressão ? Fiquei curioso, até mesmo surpreso com toda essa intriga de guerra fria, e assisti o filme (você sabe onde encontrá-lo: na rede com 3 minutos de procura no Google). 

O filme, como filme é uma "comédia de amigos" igual à um trilhão de outras que inundam o cinema americano: dois-amigos-jovens-adultos-solteiros-que-são-muito-loucos-bebem-fumam-e-comem-todo-mundo-mas-também-são-bem-sucedidos-e-possuem-em-meio-à-tudo-isso-um-ideal-sublime. Tecnicamente o filme é irretocável, como todo blockbuster americano, o que não significa necessariamente uma virtude: piruetas de câmera, montagem milimétrica, efeitos especiais espaciais e uma transparência que deixa tudo bem asséptico no fim. Tudo muito limpinho. Muita forma e pouco fundo. E dai ? Ninguém que vai assistir A entrevista espera se deparar com o tipo de poesia visual e narrativa que encontraria em um documentário art-house iraniano sobre camelos diabéticos. A Entrevista é o tipico filme hollywoodiano, formatado, feito para ser consumido rápido como um big-mac.




Geralmente eu nunca posto lançamentos por aqui, mas A entrevista, como compromisso produção-recepção, é um filme que só faz sentido agora, ou no máximo por algumas semanas, enquanto a chapa ainda está quente. Depois de um tempo o filme vai ser interessante por outros motivos, e provavelmente um dia vai se transformar nos "Espiões que entraram numa fria" desta incarnação atual do planeta, nada mais do que uma curiosidade datada. E depois não há como negar que o filme é provocador de fato. Seu discurso é o choque. E mais, ele é quase tão anti-americano quanto anti-coreano, mas talvez ninguém note isso. O resto é o bom e velho humor de toillete de Seth Rogen, uma grande piada cheia de racismo, grosserias e sexismos quetais, com um forte subtexto anal que indica precisamente para qual estágio psicossexual regrediu o homem americano médio nesse meado de década. Nada contra por minha parte, incorreção politica é sempre salutar (pelo menos contesta o puritanismo yankee). Auto humilhações, estilo roasting, de Rob Lowe e Eminem são também bem vindas.




Uma reflexão que me veio após assistir um filme, que no final das contas é nada mais do que um divertido besteirol, é o quanto ainda as pessoas são fascinadas pelas imagens, e de como essas imagens são lidas como uma espécie de verdade, como uma espécie de declaração de princípios, como um evangelho. Tamanha mitificação parece impedir as pessoas de verem o óbvio: o cinema é apenas uma construção, uma fantasia, uma ficção que termina em si mesmo, quando a tela fica preta e as luzes se acendem volta-se para o mundo de verdade, ou pelo menos deveríamos. Matar alguém na tela não significa nada, cuspir na cruz idem, as pessoas não deviam nem ao menos se importar, mesmo os anacrônicos ditadores. Vai embora o filme, com seu texto e seu discurso, e fica apenas (e no máximo) uma reflexão, pronto. Um filme jamais, nunca, carrega nenhuma verdade. O curioso paradoxo desta suposta verdade da teoria do cinema é que A entrevista, com toda sua carga de mentiras, documenta a verdade deste momento do planeta como talvez nenhum documentário o faria.

Título Original:  The Interview
Ano: 2014
País : USA
Diretor: Evan Goldberg, Seth Rogen
Award: Nenhum


                       

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...