quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Desagradável





O que fazer quando você tem uma banda de rock, mas o gênero musical que te interessa está tão saturado que não há como criar mais nada de remotamente original ? Cria-se um novo sub-gênero ! Foi exatamente isso que, há duas décadas atrás, o coletivo de rock carioca Gangrena Gasosa fez. E não apenas criou um estilo de som, mas toda uma proposta estética que é a própria concretização do conceito antropofágico de Oswald de Andrade: fazer do heavy metal, que é por si só uma grande piada, uma piada maior ainda, mas trocando os diabos e monstrinhos eurocêntricos que povoam o universo imaginário do metal, pelos exús, pombas-giras e tranca-rua da mitologia brasileira. Estava criado o Saravá-Metal. Simplesmente genial.





Mesmo que a banda milite no território do heavy metal, o filme mostra duas horas da mais pura (no sentido sublime do termo) anarquia punk, desde os seus primórdios mais obscuros, até a maturidade sonora alcançada com o álbum "Se Deus é 10 Satanás é 666". A aura de lendas e tabus que cerca a  banda também marca presença, e dá um aspecto quase sociológico ao filme. Além disso o documentário presta um tributo ao forte momento cultural do underground carioca na primeira metade dos anos 90, que saindo absolutamente do nada, mudaria as feições do rock brasileiro em seguida. Bônus: participação do Dead Kennedy Jello Biafra. Uma beleza de filme.

Título Original: Desagradável
Ano: 2013
Direção: Fernado Rick
País: Brasil


                

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...