sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Kurt Cobain: Montage of Heck





Documentário sobre a vida de Kurt Cobain produzido ao longo de 8 anos, pelo diretor Brett Morgen, utilizando-se de diversos dispositivos de mise-en-scéne, como cenas de arquivos (alguma realmente raras e extremamente pessoais), animação e entrevistas, e que mostra a breve vida do atormentado músico que se tornaria um dos maiores ícones populares da segunda metade do século XX. Dono de um talento peculiar e inegável, Cobain e o Nirvana representam para muitos, dentro do universo da musica popular, o ultimo momento em que algo autêntico, genuíno, vindo literalmente do nada, chegou ao mainstream e se instalou ali de forma meteórica, de modo a transformar de maneira durável o próprio status quo da industria musical dali para a frente. O choque provocado pelo Nirvana foi um fenômeno muito mais cultural do que estético, até porque o som do grupo, longe de ser inovador, fazia uma interessante releitura do rock como um todo nos últimos 30 anos: dos Beatles ao Metal, do Rock de arena ao Punk, mas que paradoxalmente foi recebido como algo "novo" ao ponto de catalizar os anseios de uma geração inteira que aparentemente até o momento não possuía uma voz própria. 

Mas o que faz a história de Kurt ser tão fascinante ? Montage of Heck mostra a trajetória de um rapaz errático, cuja personalidade depressiva era fruto em parte do contexto sócio-cultural do qual foi egresso: uma cidade esquecida no noroeste americano, cenário de um pesadelo white trash em que o tédio e a perda de propósito são os sintomas colaterais mais evidente do sonho americano. Kurt não tinha vontade e nem a pretensão de se tornar a voz de sua geração. Aparentemente pretendia apenas usar seu "pequeno" grupo para expressar sua enorme frustração através da música. Kurt não tinha grandes pretensões de carreira, além de uma desculpa para não ter um emprego de verdade, tomar drogas e ser aceito. Mas foi então que a banda lançou Nevermind, e a sinceridade emocional da obra tocou fundo no coração de milhares de pessoas. Kurt não conseguiu lidar com o peso da responsabilidade de ser escolhido emblema de uma geração da qual ele próprio se julgava o maior dos impostores, e o resto é história. História que Brett Morgen passa a limpo nesse belo documentário, necessariamente anti-heroizante, cujo nome é derivado de um experimento sonoro caótico, gravado de forma caseira por Kurt em 1988, e com o qual o filme compartilha um certo teor anárquico.

Título original: Kurt Cobain Montage of Heck
Ano: 2015
Diretor: Brett Morgen
País: USA
Awards: Sundance Film Festival / Festival de Berlin




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...